DAS ou Guia do Simples Nacional: saiba tudo sobre esse documento

Publicado em09/09/2022

Tempo leitura11min 51s

Copiar link

A guia do Simples Nacional é conhecida pela sigla DAS, que corresponde ao Documento de Arrecadação do Simples Nacional. De fato, esta guia foi criada como uma parte essencial do regime do Simples, visando simplificar o recolhimento dos tributos.

Isso porque com a DAS do Simples Nacional é possível recolher oito impostos em uma única guia, além de contar as facilidades de poder realizar processo de forma eletrônica. Visto que foi criado o portal do Simples Nacional para atender essa finalidade.

Tendo isso em vista, a Fica Tranquilo preparou esse artigo para explicar em detalhes o que é a DAS, como deve ser calculada e suas principais características. Além disso, esclarece sobre a emissão, pagamento e penalidades em caso de inadimplência.  

O que é guia do Simples Nacional?

A guia do Simples Nacional é mais conhecida pela sigla DAS, que significa Documento de Arrecadação do Simples Nacional. De fato, trata-se de uma guia que facilita o recolhimento dos impostos unificando oito tributos em um único documento, que são: 

1 – Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ): imposto federal declarado anualmente pelas empresas;

2 – Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI): imposto federal cobrado sobre os fabricados em processos industriais;

3 – Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL): imposto federal para apoiar a Seguridade Social: aposentadoria, direitos à saúde, dentre outros;

4 – Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins): imposto federal para recolher fundo para a área social;

5 – Contribuição para o PIS/Pasep: imposto federal com a finalidade de arrecadar fundos para o pagamento do abono salarial e seguro-desemprego;

6 – Contribuição Patronal Previdenciária (CPP): ligado ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), voltado para manter a Previdência Social;

7 – Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS): imposto estadual cobrado sobre a circulação de mercadorias e serviços;

 8 – Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS): imposto municipal pago em função da prestação de serviços.

A guia foi instituída como um elemento essencial desse regime, com o objetivo de simplificar a tributação por meio de alíquotas reduzidas. Além disso, os valores são fixos ou sofrem alteração conforme o faturamento da empresa.

Mas, o que é o Simples Nacional?

Conforme a Lei Complementar n, 123, de 14 dezembro de 2006, o Simples Nacional constitui-se como um tipo de regime compartilhado envolvendo a arrecadação, cobrança e fiscalização de impostos. 

Desse modo, é destinado para as Microempresas (MEs) e Empresas de Pequeno Porte (EPPs), sendo que também inclui os Microempreendedores Individuais (MEIs). No entanto, com uma sistemática diferenciada das MEs e EPPs. 

Além  de envolver os impostos da União, Estados, Distrito Federal e Municípios, o Simples Nacional é administrado por um Comitê Gestor composto por oito integrantes:

  • Quatro da Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB);
  • Dois dos Estados e do Distrito Federal;
  • Dois dos Municípios.

Para que as empresas possam ser enquadradas no regime do Simples devem atender às seguintes condições:

1 – Corresponder a definição de Microempresa (ME) ou de Empresa de Pequeno Porte (EPP);

2 – Atender aos requisitos previstos na legislação; 

3 – Realizar a formalização da opção pelo Simples Nacional.

Principais características do regime do Simples Nacional

O regime tributário do Simples Nacional tem como principais características os seguintes aspectos, que acabam também constituindo-se como benefícios. Veja a seguir: 

1 – Regime facultativo, irretratável para todo o ano-calendário;

2 – Abrange oito impostos em uma única guia de arrecadação – DAS;

3 – Disponibiliza sistema eletrônico para a realização do cálculo do valor mensal devido e geração da guia do Simples Nacional – DAS;  

4 – Declaração única e simplificada de informações socioeconômicas e fiscais;

5 – Recolhimento do DAS até o dia 20 do mês subsequente àquele em que houver sido auferida a receita bruta;

6 – Possibilidade de os Estados adotarem sublimites para EPP em função da respectiva participação no PIB. 

7 – Estabelecimentos localizados nesses Estados cuja receita bruta total extrapolar o respectivo sublimite deverão recolher o ICMS e o ISS diretamente ao Estado ou ao Município.

Como calcular a guia do Simples Nacional?

O cálculo da guia do Simples Nacional é diferenciado conforme o porte das empresas enquadradas nesse regime de tributação. Nesse sentido, são as Microempresas (ME), as Empresas de Pequeno Porte (EPP) e os Microempreendedores Individuais (MEI).

No caso das ME e EPP, o cálculo é feito com base nas notas fiscais emitidas no decorrer do mês, isto é, no faturamento mensal da empresa. Se acaso a empresa não emitir notas durante o mês, não terá que emitir a DAS, pois não tem imposto a pagar.

Para calcular o valor do imposto é necessário consultar a tabela do Simples Nacional, para verificar qual o anexo e faixa que se enquadra. Veja a seguir:

Anexo 1 – Comércio  

image1.png

Anexo II – Indústria 

image5.png

Anexo III – Receitas de locação de bens móveis e de prestação de serviços não relacionados no § 5o-C do art. 18 desta Lei Complementar 

image2.png

Anexo IV – Receitas decorrentes da prestação de serviços relacionados no § 5o-C do art. 18 desta Lei Complementar 

image3.png

Anexo V – Receitas decorrentes da prestação de serviços relacionados no § 5o-I do art. 18 desta Lei Complementar 

image4.png

Já para o MEI, o cálculo do imposto mensal é fixo e tem variação conforme a atividade exercida por cada empresa.  Veja a seguir:

Comércio e Serviços R$ 66,60 (R$60,60 do INSS + R$ 1,00 do ICMS + R$ 5,00 de ISS)
Comércio e Indústria R$ 61,60 (R$60,60 do INSS + R$ 1,00 do ICMS)
Prestação de Serviços R$ 65,60 (R$60,60 do INSS + R$ 5,00 de ISS)

Como proceder para emitir a DAS?

Para a emissão da guia do Simples Nacional, é importante destacar que existe uma diferença nos procedimentos a serem seguidos conforme o porte da empresa. 

No caso das MEIs, o processo é bem mais simples e prático, pois pode ser realizado acessando o sistema Programa Gerador de DAS do Microempreendedor Individual (PGMEI), que faz parte do site do Simples Nacional. 

Para a emissão da DAS, basta informar o Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), escolher a opção “Emitir guia de Pagamento (DAS)”, definir o ano-calendário e o mês de apuração.

Já para as MEs e EPPs, é necessário ter um código de acesso ao portal fornecido pela Receita Federal ou ter um certificado digital válido e ativo. Desse modo, o procedimento também é realizado no portal do Simples Nacional. 

Além disso, o vencimento da DAS ocorre todo dia 20 de cada mês e pode ser pago por meio de plataformas de internet banking, débito automático ou em caixas eletrônicos, lotéricas e bancos.

Se acaso o pagamento da DAS não ocorrer dentro do prazo, será necessário gerar uma segunda via, que será atualizada com a cobrança de multas e juros.

Informações para gerar a DAS pelas MEs e EPPs 

Para o recolhimento dos impostos, a ME e a EPP devem fornecer os seguintes dados para gerar a DAS do Simples Nacional

1 – Identificação do contribuinte informando o nome empresarial e o CNPJ;

2 – Mês de competência e a data do vencimento original da obrigação tributária;

3 – Valor do principal, da multa e dos juros e/ou encargos, bem como o valor total;

4 – Número único de identificação do DAS, atribuído pelo aplicativo de cálculo;

5 – Data limite para acolhimento do DAS pela rede arrecadadora;

6 – Código de barras e sua representação numérica;

7 – Perfil da arrecadação, assim considerado a partilha discriminada de cada um dos tributos abrangidos pelo Simples Nacional. Como também os valores destinados a cada ente federado, caso não estejam disponíveis no DAS, devem constar do respectivo extrato emitido no Portal do Simples Nacional; 

8 – Campo observações, para inserção de informações de interesse das administrações tributárias.

O que pode acontecer se não pagar a guia do Simples Nacional até o dia 20?

Saiba que este é um ponto que requer muita atenção, pois o não pagamento da DAS no prazo implica em diversas consequências para a empresa, sendo elas:

1 – Cancelamento do CNPJ da empresa;

2 – Não ter mais direito aos benefícios previdenciários, tais como: auxílio-doença, aposentadoria, auxílio-maternidade, dentre outros;

3 – A empresa pode ser inscrita em Dívida Ativa, o que impede obter empréstimos em bancos públicos, além de estar em débito com o governo;

4 – Ter de arcar com multas e juros sobre as parcelas vencidas;

5 – Exclusão da empresa do Simples Nacional.

Conheça as soluções da Fica Tranquilo para PJ

Com todas essas informações sobre a guia do Simples Nacional ficou mais fácil para a sua empresa realizar a emissão da DAS com segurança e praticidade. Além disso, pode contar com as soluções oferecidas pela Fica Tranquilo.

Isso porque é a primeira contabilidade online 100% para autônomos, freelancers, profissionais liberais e pessoas jurídicas, com expertise em prestadores de serviços. 

Veja as nossas soluções que temos para o seu negócio:

  • Abertura gratuita de empresa (sem taxas para São Paulo);
  • Cálculo de todas as suas guias, seus impostos e pró-labores;
  • Manter sua empresa em dia com todas as obrigações do governo – Imposto de renda da pessoa jurídica (IRPJ) incluso;
  • Emitir relatórios contábeis assinados sempre que você precisar;
  • Atender rapidamente seus chamados e solicitações (whatsapp, telefone, e-mail) e conectar seu problema direto com quem resolve;
  • Plataforma que emite notas fiscais e encaminha para seu e-mail e/ou contratante no mesmo dia da solicitação;
  • Organizar a melhor estratégia fiscal para sua empresa, de modo a pagar menos impostos possíveis e otimizar a economia do seu capital;
  • Sua contabilidade, financeiro e pagadoria, serviço completo.

Para mais informações sobre as nossas soluções contábeis e financeiras, entre em contato com a Fica Tranquilo e conheça tudo que temos para incrementar o seu negócio. 

Avalie este artigo

0.0

Compartilhe
Copiar link

Todos os posts

Ver todos os posts
Gestão FinanceiraComo pagar menos impostos como PJ: passo a passo para economizar

18/06/2024 | 6min 56s de leitura

Contabilidade OnlineLTDA: como abrir a sua empresa limitada

11/06/2024 | 7min 24s de leitura

Contabilidade OnlineRazão Social: Tudo o que você precisa saber sobre o assunto

10/06/2024 | 6min 2s de leitura

Contabilidade OnlineAbc Do Empreendedor: Tudo Sobre Pró-Labore

07/06/2024 | 7min 4s de leitura

Abrir CNPJ Abrir CNPJ para profissionais de tecnologia

04/06/2024 | 7min 38s de leitura

FIQUE LIGADOAssine nossa newsletter com conteúdo exclusivo.

Informe seu e-mail e teste grátis!

evoluindo na prestação de serviços

Transforme sua MEI em ME

Nosso time de contadores te auxiliará durante todo o processo de escolha para o seu perfil profissional. Seja qual for a opção escolhida, realizaremos o desenquadramento, ou baixa do seu MEI, de forma gratuita. Com suporte prioritário para dúvidas.

Desenquadrar MEI para ME grátis

Novo app de contabilidade disponível para iOS e Android

Sua tranquilidade nossas responsabilidade, projetamos sempre com inovação nossos produtos digitais e com as melhores tecnologias do mercado.

Converse com nossa equipe comercial e tire suas dúvidas!

Preencha as informações ao lado e escolha sua opção de contato preferida para conversar com nossa equipe.